2ª Edição

MOSTRA ITINERANTE
2ª EDIÇÃO

O Histórias que Ficam se propõe a ser um edital que contempla toda a cadeia produtiva do audiovisual – do desenvolvimento do projeto até a sua exibição. Na segunda edição a estratégia adotada para a Mostra foi pensar a distribuição a partir das características de cada filme e em parceria com a empresa Taturana Mobilização Social o Programa conectou os filmes com espaços que tinham interesse nas temáticas abordadas, o que potencializou as exibições.

Os espaços exibidores foram variados como escolas, cineclubes, penitenciárias, livrarias, defensoria pública entre outros, o que contribuiu para a democratização do acesso ao cinema e formação de público.

O lançamento da Mostra aconteceu na Unibes Cultural com a mesma tônica de todos os eventos abertos realizados ao longo do Programa. Corpo Delito foi exibido seguido por debate com a mediação de Maria Homem, psicanalista, pesquisadora e professora, Pedro Rocha, diretor do filme, Luiz Paulo Barreto, ex-Ministro da Justiça e atual Diretor de Relações Institucionais da CSN, e Marina Dias, que integra o Conselho da Ouvidoria da Defensoria Pública de São Paulo. Guarnieri, estreou no Centro Cultural São Paulo seguido por debate com Sérgio Mamberti, ator e dramaturgo, Cibele Forjaz, diretora e iluminadora de teatro e Francis Vogner roteirista do filme. Os demais documentários, Iramaya, de Carol Benjamin, e No vazio do ar, de Priscilla Brasil, foram exibidos em sessões abertas ao público seguidas por debate em São Paulo, Rio de Janeiro e Belém.